Tobias Torres - Otorrinolaringologia

Prótese auditiva ancorada no osso

Prótese auditiva cirurgicamente implantável que permite a amplificação dos sons por vibração óssea. Indicada para pacientes com perda de audição do tipo condutiva ou mista causada por alterações anatômicas do ouvido (ex: malformações, sequelas de doenças ou cirurgias) que impedem o uso adequado dos aparelhos de audição convencionais. Tem-se o implante fixado cirurgicamente no osso atrás da orelha (através ou por baixo da pele) e um aparelho externo (processador de som/vibrador) que capta os sons ambientais e gera uma vibração do osso. Esta cirurgia é realizada sob anestesia geral, em ambiente hospitalar, por meio de uma incisão atrás da orelha. A alta hospitalar ocorre nas primeiras 24hs de cirurgia e é necessário repouso domiciliar por 7 a 10 dias. O sistema da prótese auditiva ancorada no osso pode ser ligado entre 45 e 90 dias após a cirurgia. É um procedimento realizado em adultos e crianças (acima de 5 anos de idade) desde que tenham anatomia favorável para o procedimento. Para os pacientes com idade inferior a mínima autorizada ou que possuem alguma contra-indicação cirúrgica, existem opções de utilizar os processadores som/vibradores com faixas elásticas ou arcos sem necessidade de cirurgia. Existem três marcas de próteses auditivas ancoradas no osso no mercado: Cochlear (BAHA), Medel (Bonebridge e Adhear) e Oticon Medical (Ponto).

Acesse a matéria sobre tratamento de perdas de audição.