Tobias Torres - Otorrinolaringologia

Estapedotomia - Estapedectomia

Cirurgia do ouvido para tratamento da perda de audição em pacientes com diagnóstico de otosclerose. Nesta doença ocorre uma alteração na estrutura óssea do ouvido que resulta na fixação do estribo (terceiro ossículo do ouvido). A redução da mobilidade provoca diminuição na transmissão dos sons para a orelha interna e, consequentemente, perda de audição. Essa perda auditiva inicia, habitualmente, em torno da terceira década de vida e evolui de forma lentamente progressiva durante os anos. Acomete homens e, mais frequentemente, mulhres. É uma doença genética de caráter hereditário.

Na cirurgia, o estribo tem sua supra-estrutura removida e é substituído por uma prótese milimétrica de teflon ou titânio. Essa prótese fica presa à bigorna e sua haste é intruduzida num orifício confeccionado cirurgicamente na platina (base do estribo remanescente).Dessa forma, corrige-se a mobilidade da cadeia ossicular e tem-se melhora dos níveis de audição. Realizamos o procedimento sob anestesia geral, em ambiente hospitalar, com microscópio cirúrgico, através de uma pequena incisão externa (0,5-1cm) acima do tragus. Há necessidade de um pernoite no hospital. Após a alta, repouso domiciliar por 10 a 14 dias e proteção do contato com água até a cicatrização completa do ouvido (~2 meses).  

A avaliação pré-operatória com exame físico, audiológico e radiológico detalhados é fundamental para a correta indicação cirúrgica. Além disso, a complexidade técnica e a precisão necessária nesse procedimento exigem um cirurgião otorrinolaringologista com experiência em cirurgia de ouvido.