Tobias Torres - Otorrinolaringologia - Dr. Tobias Torres - Otorrinolaringologista

Tobias Torres - Otorrinolaringologia

47 3288-0590

Rua Floriano Peixoto, 222 - Edifício Stein Tower - Sala 1303, 13º andar

89.010-500 - Centro - Blumenau / SC

Veja no mapa

Dicas de Saúde

Você está em:
    1. Dicas de Saúde
      1. Nariz

Nariz

Rinites

A rinite corresponde a um processo inflamatório do nariz. É divida em dois grandes grupos: rinites alérgicas e rinites não-alérgicas. Através da história clínica e do exame físico otorrinolaringológico é possível diferenciá-las.

A rinite alérgica caracteriza-se por episódios de obstrução nasal, espirros, coceira e coriza, que podem ser eventuais, em crises, ou permanentes. Sintomas oculares (rinoconjuntivite alérgica) e pulmonares (asma) podem estar associados. Os sintomas aparecem devido ao contato com alérgenos presentes no ambiente (poeira, fumaça, perfumes, ácaros, etc).

A rinite não-alérgica apresenta-se, principalmente, com obstrução nasal. Em muitos casos, este sintoma provoca dor de cabeça. Esta rinite está relacionada, principalmente, a variações climáticas (frio e umidade).

Os sintomas da rinite podem, muitas vezes, ser semelhantes aos da sinusite e provocar confusão. O exame indicado para estabelecer o diagnóstico diferencial entre rinite e sinusite é a video-endoscopia naso-sinusal. O raio X, apesar de ser comum, é um exame com pouco utilidade diagnóstica.

A obstrução nasal nos pacientes com rinite é provocada pelo aumento dos cornetos nasais. Essas estruturas são dobras da mucosa que recobre a cavidade na nasal internamente e possuem como função a filtração, umidificação e aquecimento do ar que passa pelo nariz. Na rinite não tratada, o processo inflamatório repetitivo das crises alérgicas provoca inchaço dos cornetos nasais e, dessa forma, ocorre estreitamento do espaço para a passagem ar.

Identificar o tipo de rinite é fundamental para estabelecer o tratamento correto. Atualmente, as medicações existentes para o tratamento das rinites são eficazes e permitem um controle completo dos sintomas.

Sinusite Aguda

A sinusite aguda, ou rinossinusite aguda, corresponde a uma infecção bacteriana do nariz e dos seios da face. Geralmente, ocorre após um episódio de resfriado. Os principais sintomas são obstrução nasal, secreção nasal, dor facial e diminuição do olfato que podem durar até 12 semanas.  Além dos resfriados, outros fatores que predispõem a ocorrência da sinusite são a rinite alérgica ou não-alérgica, o aumento da adenóide e os desvios do septo nasal. 

Os sintomas da sinusite podem, muitas vezes, ser semelhantes aos da rinite e provocar confusão. O exame indicado para estabelecer o diagnóstico diferencial entre sinusite e rinite é a video-endoscopia naso-sinusal. O raio X, apesar de ser comum, é um exame com pouco utilidade diagnóstica.

A avaliação otorrinolaringológica especializada é importante para o correto diagnóstico e tratamento adequado. Atualmente, o manejo da sinusite aguda consiste no uso de antibiótico, sintomáticos e lavagem nasal abundante.

Sinusite Crônica

A sinusite crônica, ou rinossinusite crônica, corresponde a um processo inflamatório crônico do nariz e dos seios da face. Os sintomas incluem obstrução nasal, secreção nasal, dor facial e diminuição do olfato com duração superior a 12 semanas. Pode apresentar episódios de piora dos sintomas devido a infecções bacterianas associadas. Alguns desses pacientes desenvolvem pólipos dentro da cavidade nasal.

Os sintomas da sinusite podem, muitas vezes, ser semelhantes aos da rinite e provocar confusão. O exame indicado para estabelecer o diagnóstico diferencial entre sinusite e rinite é a video-endoscopia naso-sinusal. O raio X, apesar de ser comum, é um exame com pouco utilidade diagnóstica.

A avaliação otorrinolaringológica especializada é importante para o correto diagnóstico. O tratamento desse tipo de sinusite consiste no uso de medicamentos  e, nos casos de difícil controle, na abordagem cirúrgica.

Obstrução Nasal

A obstrução nasal ou congestão nasal são termos utilizados para indicar a sensação de nariz entupido que ocorre pela dificuldade da passagem do ar pela cavidade nasal. Acomete pacientes de todas as idades e inúmeras doenças podem provocar esse tipo de queixa. Estão entre as causas mais comuns os resfriados, as rinites alérgicas ou não-alergicas, as sinusites agudas ou crônicas, os desvios do septo nasal e o aumento da adenóide. Outras situações mais raras são as mal-formações nasais e os tumores da cavidade nasal ou seios da face.

Na grande maioria dos casos, a obstrução nasal obriga o paciente a ter uma respiração pela boca. Esse padrão de respiração na infância é extremamente prejudicial ao crescimento e desenvolvimento da face. Nos adultos, a obstrução pode comprometer as atividades físicas e a qualidade do sono.

A avaliação otorrinolaringológica especializada é importante para o correto diagnóstico. Identificar a causa da obstrução nasal permite o tratamento adequado e melhora dos sintomas.

Sangramento Nasal

O sangramento nasal ou epistaxe é uma queixa comum na rotina do otorrinolaringologista. Estima-se que 60% das pessoas apresentem pelo menos um episódio de sangramento nasal durante a vida. Devido a grande vascularização do nariz, a quantidade de sangue comumente assusta os pacientes e observadores. No entanto, na maioria das vezes, os sangramentos são provocados pelo rompimento de pequenos vasos do septo nasal devido a manipulação com os dedos, ressecamento mucosa do nariz e do uso de remédios locais. Nesses casos são episódios que cessam espontaneamente, mas que podem ser recorrentes. Em situações mais raras, os sangramentos podem ser volumosos e de difícil controle, necessitando de atendimento de emergência.

A abordagem dos sangramentos nasais baseia-se na idade do paciente, no volume de sangramento e no achado do exame físico otorrinolaringológico. Para o controle dos sangramentos pode ser indicada a hidratação nasal por meio de lavagem nasal, cauterização química, tamponamento nasal, cauterização elétrica ou tratamento cirúrgico.

Desvio do septo Nasal

O septo nasal é uma lâmina formada por osso e cartilagem que divide a cavidade nasal em direita e esquerda. Devido a alterações de crescimento, algumas pessoas podem apresentar tortuosidades na estrutura do septo nasal. Nomeamos essas tortuosidades de desvio do septo nasal ou desvio septal. Esses desvios podem se projetar para o lado direito ou esquerdo do nariz e, dessa forma, estreitar o espaço para a passagem do ar. Apesar da maioria das pessoas com desvio do septo nasal não apresentarem sintomas nasais, a sensação de obstrução nasal é uma queixa recorrente. A correção do desvio do septo nasal é cirúrgica e está indicada para pacientes com sintomas após avaliação otorrinolaringológica completa.