Tobias Torres - Otorrinolaringologia

Rinites

A rinite corresponde a um processo inflamatório do nariz. É divida em dois grandes grupos: rinites alérgicas e rinites não-alérgicas. Através da história clínica e do exame físico otorrinolaringológico é possível diferenciá-las.

A rinite alérgica caracteriza-se por episódios de obstrução nasal, espirros, coceira e coriza, que podem ser eventuais, em crises, ou permanentes. Sintomas oculares (rinoconjuntivite alérgica) e pulmonares (asma) podem estar associados. Os sintomas aparecem devido ao contato com alérgenos presentes no ambiente (poeira, fumaça, perfumes, ácaros, etc).

A rinite não-alérgica apresenta-se, principalmente, com obstrução nasal. Em muitos casos, este sintoma provoca dor de cabeça. Esta rinite está relacionada, principalmente, a variações climáticas (frio e umidade).

Os sintomas da rinite podem, muitas vezes, ser semelhantes aos da sinusite e provocar confusão. O exame indicado para estabelecer o diagnóstico diferencial entre rinite e sinusite é a video-endoscopia naso-sinusal. O raio X, apesar de ser comum, é um exame com pouco utilidade diagnóstica.

A obstrução nasal nos pacientes com rinite é provocada pelo aumento dos cornetos nasais. Essas estruturas são dobras da mucosa que recobre a cavidade na nasal internamente e possuem como função a filtração, umidificação e aquecimento do ar que passa pelo nariz. Na rinite não tratada, o processo inflamatório repetitivo das crises alérgicas provoca inchaço dos cornetos nasais e, dessa forma, ocorre estreitamento do espaço para a passagem ar.

Identificar o tipo de rinite é fundamental para estabelecer o tratamento correto. Atualmente, as medicações existentes para o tratamento das rinites são eficazes e permitem um controle completo dos sintomas.